Software livre viola 235 patentes, acusa MS
SÃO PAULO - Advogados da MS apontaram 235 patentes que, acreditam, foram violadas pela comunidade de software livre.

Em entrevista a revista Fortune, o diretor de patentes Microsoft, Horacio Gutierrez, afirmou que a comunidade do software livre violou 235 patentes registradas pela MS.

Gutierrez afirma que o kernel do Linux viola 42 patentes e a interface gráfica de distribuições Linux violam outras 65 patentes. Na opinião de Smith, outras 45 patentes são violadas pela comunidade OpenOffice.org.

Além disso outro executivo da Microsoft, Brad Smith, diretor jurídico, afirmou que existem 15 patentes relativas a programas de e-mails e 68 relacionadas a programas diversos, que o advogado não especificou.

Smith não descreveu em detalhes quais tecnologias foram supostamente copiadas, mas afirmou que a Microsoft possui todas estas informações documentadas o que, em tese, permitiria à empresa processar corporações que usem soluções Linux.

As declarações de Smith estão alinhadas com manifestações do CEO da Microsoft, Steve Ballmer. Em pelo menos dois eventos públicos, Ballmer afirmou que a comunidade de software livre fere patentes da Microsoft. Ballmer, no entanto, nunca detalhou suas acusações.

Desde novembro de 2006, a Microsoft trabalha em parceria com a Novell no desenvolvimento de soluções de interoperabilidade entre produtos para Windows e para Linux.

Segundo Ballmer, apenas empresas que usam soluções desta parceria estão a salvo de eventuais processos judiciais por infração de patentes.

Líderes da comunidade de software livre, que discutem neste momento o texto final da terceira versão da licença GPL, já afirmaram que pretendem proibir acordos como o anunciado entre MS e Novell.

Richard Stallman, fundador da Free Software Foundation, já declarou que a GPLv3 tomará cuidados para garantir que inovações da comunidade não fiquem disponíveis para que empresas que exploram o Linux, como a Novell, façam acordos de interoperabilidade com empresas de software proprietário, como a Microsoft.

FONTE: INFO

A pergunta que não quer calar: Será este o futuro de aplicações que decidirem implementar grande parte das funcionalidades do OpenXML ?
Aguardo comentários...
Errei e assumo meu erro (Leia com atenção !!!)

No post anterior eu errei o número de páginas do OpenXML. Não são 6.000 !!!

Vi hoje pela primeira vez o tal "Anexo Eletrônico" que foi tão reclamado nos comentários enviados ao ECMA e que teve como resposta um singelo "Estes arquivos foram feitos para ser lidos por computadores, não por humanos...".

O tal anexo é um apanhado de arquivos .XML que contém nada mais nada menos do que a definição das propriedades do OpenXML em formato XML (será que isso é importante para a ISO ?).

O tamanho destes arquivos em disco é de aproximadamente 2,3 MB (e só tem XML lá dentro). Imagina isso paginado, conforme o resto da "norma"...

Errei feio, a especificação do OpenXML completa bate fácil as 7.000 páginas !!!

Erro assumido e corrigido...
[ ver mensagens anteriores ]



Meu Perfil
BRASIL, Sudeste, Homem, de 26 a 35 anos, Portuguese, English, Informática e Internet, Música, Games